Antes de Jesus Cristo como eram salvos os gentios?

Recentemente encontrei este título como uma frase no campo de busca deste blog, evidentemente alguém que precisa desta resposta, e isso é algo relevante, pois para todos importa saber sobre a salvação de Cristo desde os primórdios…

Alguns trechos Bíblicos elucidam esta questão, a começar por este:

“Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;  No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão.”

(1Pedro 3 18 ao 20)

Neste trecho, a palavra de Deus nos revela que após a sua morte e antes de sua ressurreição, Jesus desceu até o Hades (lugar dos mortos) e pregou aos Espíritos em prisão. Ou seja, ás pessoas que morreram sem salvação. É importante compreendermos que o plano de salvação em Cristo Jesus, não se iniciou no ventre de Maria.

Deus o Criador, em sua infinita misericórdia e grandeza, afirma que sua vontade é que todos sejam salvos. “O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. (2Pedro 3:9)

No AT a expiação dos pecados era realizada através dos holocaustos com todos os rituais judaicos; pois sem derramamento de sangue não havia perdão. Por isso  a necessidade do holocausto, inclusive periodicamente. Somente o sacerdote apresentava o holocausto para expiação dos pecados de todo o povo, ou de alguém específico, e para cada pecado um tipo de animal era oferecido, se tal oferta de manjares fosse aceita, descia fogo dos Céus e consumia o holocausto. Através da resposta, Deus deixava claro a sua aceitação e consequentemente seu perdão, isso nos mostra o quanto era restrita a salvação!

“E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.” (Hebreus 9:22)

Notem no texto abaixo a diferença entre a oferta de Cristo e a dos sacerdotes:

Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus; Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo. (Hebreus 7 26 ao 28)

É mesquinho e injusto pensar que Deus entregou à própria sorte todos os povos do AT, viviam como bárbaros, nômades e guerreiros, quantas almas foram ceifadas naquelas batalhas sangrentas? Mas, isso não foi o fator primordial, que levou Jesus a pregar para as estas almas em prisão, e sim o fato de não terem tido oportunidade de aceitarem Jesus como seu salvador! Em Jesus se cumpre a justiça eterna do Pai. Por isso não se espante se chegando no Céu, se depararem com Acabe e Jezabel, pois por eles também Cristo padeceu, agora só nos resta saber se eles o aceitaram como Salvador!?

Outro dia conversando com meu irmão, estávamos tentando imaginar como foi quando Cristo desceu? houve alguém que resolveu ficar por lá? eu acho que não! então imaginamos que se todos foram remidos, logo depois da ressureição de Cristo, havia uma enorme faixa nos portões do inferno escrita: “Re-inauguração!” rs… Mas, a Bíblia não diz o que houve, e quantos se salvaram em Cristo naquele momento inédito, o fato é que aqueles que desceram após Cristo, permanecerão por lá em morte eterna!

Hoje estamos no tempo da graça, Jesus já foi revelado entre os homens, as boas novas foram proclamadas dos altos Céus e o véu já foi rasgado!

“E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras.” (Mateus 27:51)

Eu os remirei da mão do inferno, e os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua perdição? (Oséias 13:14a)

Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória? (1 Coríntios 15:55)

Outra observação importante é que após a morte não há salvação, nem purgatório para purificação nenhuma, pois se assim fosse o sacrifício de Cristo seria vão?! tampouco regeneração, como dizem os espíritas, o que houve ali, foi uma situação isolada, única e exclusivamente por ter-se ocorrido antes do nascimento de Cristo, no período do A.T ou A.C, pois a Bíblia categoricamente afirma: ” Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo. (Hebreu 9:27)

A grande questão é o “antes” e o “depois” de Cristo, tais períodos tão importantes para a raça humana que até o calendário mundial tem como base de datas as siglas A.C e D.C, excepto os “pobres judeus”.

Digo pobres, porque hoje os que rejeitam a salvação de Cristo são indesculpáveis: “Com labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; Os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder (2Tessalonicenses 8 e 9)

“Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão, Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” (Hebreus 4:14 e 15)

“E sendo Ele consumado, veio ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem.” Hebreus 5:9

Ele é o alfa, Ele é o ômega, o Princípio, o meio e o fim!

Maranata, Ora vem Senhor Jesus!

 

Anúncios

9 comentários Adicione o seu

  1. Jayme M disse:

    Encaminhei esta matéria a alguns amigos e irmãos, pois a janela de dúvida ou curiosidade (ponto de interrogação) acerca desse assunto permeia e mexe com a cabeça de muita gente.
    Claro, talvez nunca e jamais de quem acha que já sabe de tudo sobre O Significado da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, mas nem sequer se permite perguntar ou responder qualquer coisa sobre o tema (que evidentemente nem estuda ou examina).
    É sempre aquela pergunta no geral: – Mas o que aconteceu com as pessoas AC?…
    Esse tipo de pergunta vem atrelado à preocupação que existe não só com relação aos antigos, mas também com relação aos nossos antepassados (familiares e assim por diante…)
    Desculpem a tomada do blog, mas eu não consigo olhar aquele trechinho escrito “adicionar um comentário”, que lá vou teclar no link… com pressa e cabeça a mil…
    Considerei importante esta matéria para enriquecer o todo o conhecimento que está arraigado e submisso ao Espírito Santo.
    Maranata…

    1. Amaralina disse:

      Amém irmão Jayme, nada podemos contra a verdade, senão pela verdade, não é mesmo?
      É sempre bom compartilharmos a verdade do nosso Deus! pois não há outra! Deus o abençoe!

  2. ulisses disse:

    o meu problema é: os que receberam a pregação de Cristo no hades tiveram a oportunidade de rejeitá-Lo? Em um senso comum, ninguem rejeitaria a Jesus depois de estar padecendo no inferno e parece que todos nesse caso diram sim a Ele… Mas se Jesus foi la pregar, tem que ter havido a possibilidade de alguem dizer não, assim como acontece agora. Entendem?
    ulisses.araujo.silva@gmail.com

    1. Mas é Isso Que Jesus Quer , Ele Que Almas , Ele Não Que Que Ninguem Vá Pro Inferno ! , Mas é claro que eles Jamais Iam Rejeito-los Cristo ! ,mas tinha outra solução? Deus Não Podia OS-jugalos DEUS É JUSTIÇA ! E Os Mortos Não RESSUCITAM HB :9:27 . OK? Paz de cristo

    2. David disse:

      Voce nao entendeu… o fato de YESHUA ter ido, nao significa que eles estavam vivendo em um purgatorio… eles estavam dormindo, e acordaram, ou seja, achar que estavam sofrendo, é no minimo, esquisito, ja que o inferno nao é assim, como as pessoas pensam, mas apenas uma distancia de Deus, um fim material e espiritual.

  3. Jackson disse:

    Graça e Paz, amados,

    Recentemente tive a necessidade de estudar sistematicamente sobre este assunto e, da mesma forma como fui agraciado, gostaria de repassar o presente do entendimento, que só pode advir do SENHOR.

    Primeiro, sobre o assunto da postagem, duas respostas: a primeira, mais curta: o Plano da Salvação deve ser enxergado de forma completa: todo o AT aponta para Jesus Cristo (ex: todas as promessas); Jesus Cristo já existia no início dos tempos (não apenas após seu nascimento como homem); portanto, os que foram salvos, mediante a fé que prefigurava Cristo, enxergavam a futura vinda de Cristo; entre nós e estes, a única diferença é que enxergamos a vinda de Cristo já realizada, mas somos salvos da mesma forma: mediante a fé em Cristo. Além disso, de forma semelhante aos crentes do AT, continuamos aguardando a [futura] segunda vinda de Cristo, num mesmo sentimento de fé, esperança e paz.

    Agora, a resposta longa, passa por mais detalhes sobre o Plano da Salvação e fui muito abençoado ao ler este artigo: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2011/02/pve-se-jesus-e-quem-nos-salva-hoje-como-ficam-todos-que-morreram-antes-de-jesus/. No fim, a conclusão é a mesma, só com mais informações 🙂

    Portanto, sinceramente, não utilizaria o texto de 1 Pedro para tratar deste assunto. Agora, tratando da dúvida que o @Ulisses apresentou, gostaria de compartilhar um comentário sobre 1Pe 2.19,20 na Bíblia de Estudo de Genebra:

    Há quatro interpretações principais dos vs. 19-20:
    1) A seção refere-se à pregação antes da encarnação (ou seja, que Cristo pregou por intermédio de Noé [cf. 2Pe. 2.5] para os ímpios contemporâneos de Noé enquanto eles ainda estavam vivos). Ele conclamou-os ao arrependimento, mas eles desobedeceram e estão agora presos. O que Pedro quis dizer, então, é que há um paralelo entre a justificação de Noé por Deus num mundo de descrentes e sua justificação de cristãos em circunstâncias semelhantes.

    2) Essa passagem refere-se à pregação antes da ressurreição (ou seja, a pregação que ocorreu entre a morte e a ressurreição de Cristo, durante uma “descida ao inferno”). Uma variação dessa visão diz que Cristo anunciou a sua vitória e o julgamento aos espíritos dos ímpios contemporâneos de Noé no lugar dos mortos.

    3) Outra versão da pregação antes da ressurreição diz que Cristo proclamou a mesma mensagem aos anjos caídos, os quais são frequentemente identificados como os “filhos de Deus” em Gn. 6.2,4, no local em que eles estavam confinados.

    4) Esses dois versículos referem-se à pregação feita depois da ressurreição (ou seja, Cristo proclamou aos anjos caídos a sua vitória no momento de sua ascensão aos céus).

    O ponto essencial das três últimas interpretações é que, do mesmo modo que Jesus foi justificado, Deus justifica os cristãos. De modo algum Pedro sugeriu que Cristo ofereceu aos incrédulos mortos uma oportunidade para receber o evangelho e, assim, serem salvos.

    ———————
    Glórias somente a Deus!

    1. Amaralina disse:

      Agradeço ao seu comentário Jackson, no entanto continuo acreditando que o verso de 1Pedro se aplica de forma bem coerente ao texto apresentado, pode sim haver outras variações, mas este texto refere-se ao fato de que Cristo pregou aos espíritos em prisões. outra observação importante é que Jesus Cristo jamais precisaria ou precisará ser justificado com nós, (como vc citou no últ. parágrafo) porque Ele é Deus e nunca pecou! 2Coríntios 5:21 e 1João 3:5.
      Seja sempre bem-vindo ao blog!

      Amaralina Penloski

  4. Rosseli disse:

    Graça e paz, bem sou professora da EBD dos jovens da minha igreja, e recentemente esta pergunta foi indagada por eles para ser pauta de uma de nossas lições de estudo…então pouco conhecedora do assunto procurei me aprofundar mais sobre o assunto para poder passar pra eles…fiquei muito contente por ter entendido a explicação da irmã Amaralina, porém a explanação um pouco mais aprofundada do irmão jackson me deixou não com dúvidas, mas um pouco preocupada com o entendimento dos meus alunos, o que farei se parte da sala concordarem com a 1º explicação que interpreta 1º pedro de uma forma? E a outra parte da turma pensarem como Jackson?

    1. Amaralina disse:

      Amada em Cristo; Rosseli

      Paz seja convosco!

      Senti a responsabilidade de te explicar o que havia postado, também sobre a explanação mencionada nos comentários, a qual, sinceramente não havia me atentado tão minunciosamente antes. Então o fiz agora para que outras pessoas também. Não sejam levadas a dúvidas escusas e importante de serem esclarecidas.
      Me coloco a inteira disposição, caso haja qualquer outra dúvida, pois a palavra de Deus é santa e devemos interpreta-lá com temor e tremor.
      No mais, ore e peça a clareza que só o Espírito Santo do nosso Deus pode te dar, amém irmã? Espero que seja proveitosa os esclarecimentos a luz das Escrituras, os quais mencionei abaixo.
      Jesus te abençoe!
      Irmã Amaralina Penloski

      OBS: Utilizei partes do texto do Jackson para identificação das dúvidas, segue:

      Primeiro, sobre o assunto da postagem, duas respostas: a primeira, mais curta: o Plano da Salvação deve ser enxergado de forma completa: todo o AT aponta para Jesus Cristo (ex: todas as promessas); Jesus Cristo já existia no início dos tempos (não apenas após seu nascimento como homem)CONCORDO! portanto, os que foram salvos, mediante a fé que prefigurava Cristo,NÃO CONCORDO! (Pois não há como ser salvo apenas mediante aquilo que “prefigurava Cristo” ou então Jesus morreu em vão? Leia Galatas 2:21) enxergavam a futura vinda de Cristo; entre nós e estes, a única diferença é que enxergamos a vinda de Cristo já realizada, mas somos salvos da mesma forma: mediante a fé em Cristo.Além disso, de forma semelhante aos crentes do AT, continuamos aguardando a [futura] segunda vinda de Cristo, num mesmo sentimento de fé, esperança e paz. O que é importante entendermos aqui, é que a condição das pessoas antes do AT não é a mesma das pessoas do NT, justamente por isso, é dividida a Bíblia desta forma AT/NT, Novo Testamento significa “nova aliança” a qual se deu somente depois da morte expiatória de JESUS CRISTO! Entende agora porque em 1Pedro, é evidente que Jesus pregou aos espíritos impíos em prisões? Porque para eles não havia salvação, pois estavam debaixo da Lei! Leia Galatas 4: 5 e 6 “Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.”

      Portanto, sinceramente, não utilizaria o texto de 1 Pedro para tratar deste assunto. Agora, tratando da dúvida que o @Ulisses apresentou, gostaria de compartilhar um comentário sobre 1Pe 2.19,20 na Bíblia de Estudo de Genebra: esta Bíblia não contém textos confiáveis! A mais indicada é a Biblia da SBTB Alemida e corrigida fiel aos textos originais! http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/BibFranksnstnGenebra-Pedro.htm
      A seção refere-se à pregação antes da encarnação (ou seja, que Cristo pregou por intermédio de Noé [cf. 2Pe. 2.5] para os ímpios contemporâneos de Noé enquanto eles ainda estavam vivos). OK! Hoje Cristo prega através de mim e de você e de tantos outros, mas não é isso que promove salvação! Só Jesus através da cruz e ressurreição que nos trazsalvação!
      O que Pedro quis dizer, então, é que há um paralelo entre a justificação de Noé  Nóe justifica??? desde quando? Isso não é Bíblico.
      Outra versão da pregação antes da ressurreição diz que Cristo proclamou a mesma mensagem aos anjos caídos, os quais são frequentemente identificados como os “filhos de Deus” em Gn. 6.2,4, no local em que eles estavam confinados. Em Gênesis 6:2 e 4 não tem nada a ver com que esta exposto aqui! Confiram! Não se refere a “anjos caídos” em momento algum? Anjos caidos na Biblia refere-se a satanás e os seus… ( Mais um erro grotesco da Genebra!)
      Esses dois versículos referem-se à pregação feita depois da ressurreição (ou seja, Cristo proclamou aos anjos caídos a sua vitória no momento de sua ascensão aos céus). Então quer dizer que Jesus foi avisar ao demônios que havia vencido? Não. Não há propósito nisso, e nem é Bíblico!
      O ponto essencial das três últimas interpretações é que, do mesmo modo que Jesus foi justificado,Deus justifica os cristãos. Outro erro absurdo de interpretação é dizer que JESUS foi justificado! Desde quando o próprio filho de Deus em quem jamais habitou pecado, precisa de justificação?? pra quem não sabe a palavra justificar significa: provar inocência e desculpar-se.
      De modo algum Pedro sugeriu que Cristo ofereceu aos incrédulos mortos uma oportunidade para receber o evangelho e, assim, serem salvos. ERRADO! Jesus precisou cumprir seu ministério “E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.” Colossenses 1:20

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s